Ver todas as obras de Braz marinho - Bras Marinho

Artista Braz marinho - Bras Marinho
Biografia Biografia
Braz Marinho, iniciou a carreira artística em 1984 com a participação no 12º Salão dos Novos de Pernambuco, pelo Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco (Olinda), quando apresentou desenhos e pinturas.

Em 1986 fixou residência em São Paulo, onde participou de exposições coletivas no Clube de Criação , no Masp e no Centro Cultural Brasil - Estados Unidos; individualmente expôs no Centro Cultural São Paulo.
Neste período (1986-1997) trabalhou também como artista gráfico, tendo ganhado
o Prêmio Relêvo pela série de desenhos Ciclo do Boi.

Transferiu-se para Portugal em 1992, quando experimentou trabalhar com azulejos e faiança, em Alcobaça, cidade referência na produção deste tipo de suporte, tendo pintado vários painéis que hoje estão em algumas residências da região de Leiria e Carvalhal do Turquel.

Em 1997 retorna ao Recife, onde inicia trabalhos de escultura com madeira e representa o Brasil em dois eventos internacionais ( Barcelona, Espanha e Roubaix, França ). Em 1999 produz a série Orizontimaginário que foi exposta na Fundação Joaquim Nabuco, na Galeria Vicente do Rego Monteiro sob curadoria de Moacir dos Anjos e depois no 26º Salão Nacional de Belo Horizonte, quando foi premiado pela instalação Money man . Ganhou também o prêmio para exposição individual pela série de esculturas de Orizontimaginário, pelo Museu de Arte da Pampulha, em 2000. Em 2001 expôs a mesma série na Galeria Fayga Ostrower
pela Funarte, em Brasília.

Ainda em Recife produziu a série Pressão/Ausência, com trabalhos entre desenhos, pinturas e esculturas que foram expostos no Museu de Arte Contemporânea de Curitiba, na Casa João Turim, Paraná, e no Núcleo de Arte Contemporânea da Universidade Federal da Paraíba.

Em 2005 foi patrocinado pelo BNB Cultural para quatro exposições em capitais brasileiras e participou de exposições no Centro Cultural Borges e Centro Cultural Vitória O'Campo ( Buenos Aires e Mar Del Plata) ambos na Argentina.

Em 2008 participou da Bienal do Recôncavo no Centro Cultural Dannemann, na Bahia, quando apresentou esculturas em madeira.

Em 2009 ( maio e junho ) apresenta trabalhos sobre papel (gravuras e desenhos ) , em dois eventos para este tipo de suporte nas cidade de Latina e Aprilia, ambas na Itália.

Atualmente trabalha em duas frentes: na fusão de duas séries de trabalhos ( Pressão / Ausência e Horizontimaginário ) originando ELEMENTOS PARA UM HORIZONTE IMAGINÁRIO (desenho, pintura e escultura ) e na produção de fotografias e roteiro para a vídeo-arte CROMO SOMOS.


Exposicoes Coletivas

1984 - 12º Salão dos Novos de Pernambuco - Museu de Arte Contemporânea - Olinda
1986 - Arte na Benfica - Galeria Murilo La Greca - Recife
1987 - Mostra Pirelli de Pintura - Masp - São Paulo
1997 - Drap Art - Museu de Arte Contemporânea de Barcelona - Espanha
1997 - Braderie de L'art Festival - Roubaix - França
1999 - 5ª Mostra de Esculturas João Turim - Museu de Arte Contemporânea de Curitiba
2000 - 8° Salão de Artes Plásticas de João Pessoa - Núcleo de Arte Contemporânea - UFPB
2001 - 26º Salão Nacional de Arte de Belo Horizonte - Museu de Arte da Pampulha
2003 - 60º Salão Paranaense - Museu de Arte Contemporânea do Paraná - Curitiba
2005 - Centro Cultural Borges - Buenos Aires - Argentina
2006 - Centro Cultural Vitória O'Campo - Mar del Plata - Argentina
2007 - Centro Cultural Banco do Nordeste - Sousa - Paraíba
2008 - XIV Bienal do Recôncavo - São Félix - Bahia
2008 - Arte dos Sete Mares - Cabanga Iate Clube - Recife - Pernambuco
2009 - In Cartis e In Pressione - Casa Arte de Latina e Museo dell'arte de Aprilia - Itália.

Exposicoes Individuais

1988 - Indivíduo - Centro Cultural São Paulo - São Paulo
1999 - Ciclo - Núcleo de Arte Contemporânea de João Pessoa - UFPB
2000 - Com Vento no Capítulo Dois - Centro Cultural São Francisco - João Pessoa
2000 - Horizontimaginário - Galeria Vicente do Rego Monteiro - Fundaj - Recife
2001 - Horizontimaginário - Galeria Quadrum - Belo Horizonte
2001 - Cicatriz - Museu da Abolição - IPHAN - Recife
2003 - Pressão / Ausência - Núcleo de Arte Contemporânea de João Pessoa
2004 - Horizontimaginário - Galeria Fayga Ostrower - Funarte - Brasília
2005 - Pressão / Ausência - Quadrum Galeria - Belo Horizonte - Minas Gerais
2006 - Elos Cambiáveis - Galeria Mariana Moura - Recife - Pernambuco
2006 - Trajetória 2000 - 2006 - Usina Cultural Saelpa Energisa - João Pessoa - Paraíba
2007 - Grandes Formatos - Escultura - Museu Murilo La Greca - Recife - Pernambuco
2009 - Orizontimaginario - Fabio Pena Cal Galeria de Arte, Salvador - Bahia


Premios

1988 - Prêmio Relevo Nacional - Artes Gráficas - São Paulo
2000 - Prêmio Aquisição - 26º Salão Nacional de BH - Museu de Arte da Pampulha
2001 - Prêmio Exposição Individual no Salão Nacional de Belo Horizonte



Críticas
Moacir dos Anjos
Situados nos limites que separam os campos da escultura, do desenho e da pintura, os trabalhos de Braz Marinho cortejam o risco de apoiar-se nas bordas do que é impuro. Essa transitividade de meios se afirma na multiplicidade de materiais empregados: alumínio, madeira, ferro, e em outros trabalhos recorta folhas de metal em formas retas e as submete, em ritmados movimentos, ao contato áspero de matéria mais dura, arranhando assim suas superfícies lisas. O efeito desses riscos é menos gráfico, contudo, que de pintura, posto que modulam, de acordo com a direção dos rasos sulcos cavados, a absorção e o reflexo da luz que sobre o metal incide. Desses e de outros modos, Braz Marinho cria objetos que recusam o claustro de demarcações precisas.


Críticas
Raul Cordula

O partido artístico de Braz não se limita a ver obra por obra isoladamente como composições geométricas independentes. Ele não se limita ao quadro nem à escultura, muito menos ao objeto estético seja ele qual for. Sua produção recente, foco destes comentários, é um conjunto de trabalhos que, embora contendo a diversidade de um conjunto, resulta numa só obra, um poema visual sobre estes conceitos. Não me refiro aqui à categoria da ?poesia visual?, mas à tensão poética que o artista coloca nesta obra carregada de sentido lúdico e de possibilidades surpreendentes.


fonte : Site da Galeria Fabio Pena Cal
Fonte cda