Logotipo
Atualizado : 05/12/2016 às 17:56:20
Usuários On-Line :  0268
Catálogo das Artes - Menu de navegação
      Detalhamento da Biografia do Artista
<< Voltar
 NOTA : Clique na(s) imagem(ns) para vê-la(s) ampliada(s).

Artista : Karel Appel
Algumas Obras do artista...

           
 
   
 
 
 
veja mais...
LINKS COM REFERÊNCIA AO ARTISTA
BIOGRAFIA
 
Appel, Karel
Amsterdã, Holanda, 1921
-

Fundador do Grupo Experimental e co-fundador do Grupo CoBrA, Karel Appel desenvolve uma arte livre, que se opõe à repressão dos anos da Segunda Guerra Mundial. Suas obras são resultado da experimentação de novas técnicas, nas quais predominam a espontaneidade e o imediatismo do processo de criação; uma oposição ao excesso de teoria e de métodos presentes na arte européia da época. Principalmente no decorrer dos anos 50, o artista aparece como um dos grandes inovadores no contexto dos abstracionismos e da internacionalização das artes.
Estudante da Academia de Belas Artes de Amsterdã entre 1940 e 1943, período no qual a Holanda está sob ocupação da Alemanha nazista, Appel sofre o desconforto da Guerra e da falta de liberdade artística. Seu país passa por uma crescente industrialização, perdendo identidade cultural, o que faz o artista tentar recuperar os elementos tradicionais da cultura primitiva bárbara. Nos últimos anos da guerra, viaja pelo país vendendo telas e conhecendo suas raízes, com euforia experimental.
A inspiração do artista vem das mais diversas experiências. Buscando "objetos-lixo" ou se aprofundando no descontraído mundo infantil, Appel mergulha na espontaneidade, abandona a distinção entre o belo e o feio e se utiliza de cores berrantes. Muitas vezes, troca o pincel pela bisnaga ou pelos próprios dedos, eliminando contornos.
Neste espírito de inovação, participa da fundação do Grupo CoBrA, em 1948. O diálogo com outros pintores incentivou sua produção artística, mas nem sempre foi um diálogo harmônico devido ao seu individualismo excessivo. Fixa-se em Paris na década de 50, onde inicia uma retomada do expressionismo vangoghiano. No Brasil, participa da II Bienal de São Paulo, em 1953, e ganha o Prêmio Internacional de Pintura na V Bienal de São Paulo, em 1959.

Daisy Peccinini/Mac
 
19/02/2007

  LOGIN DE ASSINANTES - Guia de Preços
Clique Aqui
 
  LOGIN DE ANUNCIANTES - Ofertas Especiais
Clique Aqui
 
        Copyright © 2007 Catálogo das Artes