Logotipo
Atualizado : 10/12/2016 às 13:54:03
Usuários On-Line :  0208
Catálogo das Artes - Menu de navegação
      Detalhamento da Biografia do Artista
<< Voltar
 NOTA : Clique na(s) imagem(ns) para vê-la(s) ampliada(s).

Artista : Emil Bauch
 
   
 
   
 
LINKS COM REFERÊNCIA AO ARTISTA
BIOGRAFIA
 
BAUCH, Emil
(1823 ou 1828, Hamburgo, Alemanha - c. 1890, ?)

Pintor e litógrafo. Consta que estudou em Munique (entre 1842 e 1844) e chegou ao Brasil por volta de 1849, tendo se fixado inicialmente no Recife. Transferiu-se provavelmente em 1852 para o Rio de Janeiro. De 1857 a 1865, montou ateliê na rua do Rosário 106, instalado posteriormente na rua Sete de Setembro 72 e novamente na Rua do Rosário, desta vez no número 47. De 1869 a 1872, associou-se a Henri Nicolas Vinet no ensino da pintura de paisagem na rua da Quitanda 27. Na Exposição Geral da Academia Imperial de Belas Artes, conquistou medalha de prata em 1859, medalha de ouro em 1860, e foi condecorado com a Ordem Imperial da Rosa em 1874. A bibliografia a seu respeito é bastante nebulosa. Local e data de sua morte são desconhecidos. Acredita-se, todavia, que tenha falecido no Rio de Janeiro. Publicou na Alemanha um álbum de litografias intitulado Souvenirs de Pernambuco (c. 1852). Em 1982, o Museu Nacional de Belas Artes incluiu um trabalho de sua autoria na mostra 150 Anos de Pintura de Marinha na História da Arte Brasileira. Em 1992, seu díptico Vista Panorâmica da Baía de Guanabara (óleo s/tela, 1860) figurou na mostra Natureza: Quatro Séculos de Arte no Brasil, no Centro Cultural Banco do Brasil, Rio de Janeiro. Integra os seguintes acervos: Biblioteca Nacional, Museu Nacional de Belas Artes, Museu da República e Museus Castro Maya, no Rio de Janeiro; Museu Imperial, em Petrópolis (RJ); Fundação Maria Luísa e Oscar Americano, em São Paulo; Ministério das Relações Exteriores, em Brasília.

Referências: A muito leal e heróica cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro (Raymundo de Castro Maya, Candido Guinle de Paula Machado, Fernando Machado Portella, Banco Boavista, 1965), textos e organização de Gilberto Ferrez; Rio neoclássico (Bloch, 1978), de Clarival do Prado Valladares; Pintores alemães no Brasil durante o século XIX (Pinakotheke, 1989), de Maria Elizabete Santos Peixoto; 150 anos de pintura no Brasil: 1820/1970 (Ilustrado pela coleção Sergio Fadel, Colorama, 1989), de Donato Mello Júnior, Ferreira Gullar e outros; Museus Castro Maya (Agir/Banco Boavista, 1994); Cronologia das artes plásticas no Rio de Janeiro: 1816-1994 (Topbooks, 1995), de Frederico Morais; Biblioteca Nacional: a história de uma coleção (Salamandra, 1997), de Paulo Herkenhoff; O Brasil dos viajantes (Objetiva/Metalivros, 3. ed. 2000), de Ana Maria de Moraes Belluzzo.

 
06/02/2007

  LOGIN DE ASSINANTES - Guia de Preços
Clique Aqui
 
  LOGIN DE ANUNCIANTES - Ofertas Especiais
Clique Aqui
 
        Copyright © 2007 Catálogo das Artes