Logotipo
Atualizado : 07/12/2016 às 17:51:17
Usuários On-Line :  0224
Catálogo das Artes - Menu de navegação
      Detalhamento da Biografia do Artista
<< Voltar
 NOTA : Clique na(s) imagem(ns) para vê-la(s) ampliada(s).

Artista : Wesley Duke Lee
Algumas Obras do artista...

                       
 
   
 
 
 
                                   
veja mais...
LINKS COM REFERÊNCIA AO ARTISTA
BIOGRAFIA
 
Lee, Wesley Duke (1931-2010)



Biografia

Wesley Duke Lee (São Paulo SP 1931). Desenhista, gravador, artista gráfico, professor. Faz curso de desenho livre no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp, em 1951. Um ano depois, viaja para os Estados Unidos e estuda na Parsons School of Design e no American Institute of Graphic Arts, em Nova York, até 1955. Nessa época, acompanha as primeiras manifestações da arte pop e vê trabalhos de Robert Rauschenberg (1925), Jasper Johns (1930) e Cy Twombly (1928). No Brasil, em 1957, deixa a publicidade e torna-se aluno do pintor Karl Plattner (1919 - 1989), com quem trabalha em São Paulo e, posteriormente, na Itália e na Áustria, até 1960. Nessa época, vive também em Paris, freqüenta a Académie de la Grande Chaumière e o ateliê de Johnny Friedlaender (1912 - 1992). Retorna ao Brasil em 1960. Em 1963, inicia trabalho com os jovens artistas Carlos Fajardo (1941), Frederico Nasser (1945), José Resende (1945), Luiz Paulo Baravelli (1942), entre outros. Nesse ano, realiza, no João Sebastião Bar, em São Paulo, O Grande Espetáculo das Artes, um dos primeiros happenings do Brasil. Procura organizar um movimento artístico, o realismo mágico, com Maria Cecília (1928), Bernardo Cid (1925 - 1982), Otto Stupakoff (1935) e Pedro Manuel-Gismondi (1925 - 1999), e outros. Em 1966, com Nelson Leirner (1932), Geraldo de Barros (1923 - 1998), José Resende, Carlos Fajardo e Frederico Nasser, funda, como reação ao mercado de arte, o Grupo Rex, que existe até 1967.

Lee, Wesley Duke (1931)



Nascimento

1931 - São Paulo SP - 21 de dezembro

Cronologia

Desenhista, gravador, artista gráfico, professor



1951 - Curso de desenho livre no Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand - Masp

1952/1955 - Viaja para os Estados Unidos e fixa residência em Nova York. Estuda artes gráficas na Parsons School of Design, em Nova York

1955 - Estuda tipografia no The American Institute of Graphic Arts. É premiado com o Bruce Rogers Award, pela parte gráfica de Sopros DAlma

1955 - Estuda caligrafia com Paul Standard

1957 - Inicia estudos com o pintor Karl Plattner (1919 - 1989) em São Paulo

1957/1960 - Inicia as séries Templário, Ligas e o Chefe (origem de todas as séries a partir da qual se desenrolaria a sua obra), com três forças-motrizes: a transcendência, vinculada ao sagrado; a erótica, à sexualidade; a utopia, à política e ao poder

1958 - Viaja para Paris e estuda gravura no ateliê de Johnny Friedlaender (1912 - 1992) e desenho na Académie de la Grande Chaumière

1959 - Estuda pintura mural com Karl Plattner em Salzburg, Áustria

1961 - É premiado com o Oscar de La Publicité Française, pela campanha de publicidade para a empresa Régie-Renault

1963 - É professor de Frederico Nasser (1945), Carlos Fajardo (1941), José Resende (1945) e Luiz Paulo Baravelli (1942)

1963 - Forma, com o crítico Pedro Manuel-Gismondi (1925 - 1999), a pintora Maria Cecília (1928), o fotógrafo Otto Stupakoff (1935) e o escritor Carlos Felipe Saldanha, o movimento artístico, Realismo Mágico

1963 - Realiza O Grande Espetáculo das Artes, primeiro happening no Brasil, no João Sebastião Bar, em São Paulo. Irritado por não conseguir expor as Ligas, consideradas muito eróticas, desafia as galerias e a crítica de arte, embasado pelo teatro dadá e pelas noitadas futuristas, e impregnado do espírito pop

1963 - Cria, para uma feira industrial, o stand Sala de Visitas em colaboração com Otto Stupakoff, primeira experiência que levaria à criação de uma série de ambientes e instalações como Trapézio, 1966, Retrato de Chateaubriand, 1968, Helicóptero, 1969, Cápsula do Nascimento, 1969 e outros, dos quais a Fortaleza de Arkadin, 1991 foi a última, executada na 44ª Bienal de Veneza

1964 - Recebe menção honrosa na 43º Annual Exhibition of Advertising Art and Design

1964 - Recebe o prêmio Ampulheta, na Biblioteca Municipal de São Paulo

1964 - Preso nos primeiros dias do golpe militar, realiza a série Da Formação de um Povo relacionada a ética e as utopias, em que critica as arbitrariedades do regime que se instaurava

1964 - A convite de Walter Zanini, diretor do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo - MAC/USP, é admitido no Grupo Phases. Participa de suas exposições no Brasil e no exterior; na mostra realizada em São Paulo apresenta a série Cavaleiros do Eclipse, inaugurando a fase Lisérgica

1964 - É professor de desenho na Faculdade de Arquitetura do Instituto Presbiteriano Mackenzie

1965 - É professor de princípios de desenho na Escola de Desenho Industrial em Ribeirão Preto, São Paulo

1966 - Forma o Grupo Rex, com Geraldo de Barros (1923 - 1998), Nelson Leirner (1932), José Resende, Carlos Fajardo e Frederico Nasser, que funda a Rex Gallery & Sons e edita o jornal Rex Time

1969 - Participa do projeto Art and Technology, organizado pelo Los Angeles County Museum of Art, experiência malograda que o levaria a interromper as instalações e o uso da tecnologia por muito tempo, retomando-os em projetos apenas na década de 1980. Entretanto, realiza outros tipos de instalação como O/Limpo, 1970 (inacabado) e Fortaleza de Arkadin, 1991, sem recursos tecnológicos

1969 - É professor de desenho no departamento de pós-graduação da Universidade do Sul da Califórnia em Irvine

1972 - Rebela-se contra o mercado de arte, principalmente leilões, colocando um anúncio em O Estado de S. Paulo, no qual critica os métodos utilizados por galeristas e leiloeiros, atitude que gera grande polêmica no meio artístico

1976 - Recebe o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte - APCA - melhor pintor paulista do ano

1979 - Realiza no Centro de Reprodução Xerox, em Nova York, as primeiras experiências com a técnica, que resultam nos 400 originais da série Papéis. Passa a pesquisar outras possibilidades do xerox, do vídeo, polaroid e demais formas de reprodução eletrônica da imagem

1990/1991 - Realiza para o Metrô de São Paulo dois painéis executados em computador gráfico e scannaprint, de 240 metros, reproduzindo pinturas da história da arte no Brasil, a série Os Trabalhos de Eros, 1991

1994 - Recebe prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte - APCA, melhor exposição retrospectiva de 1993

1999 - Prepara em computador gráfico, a série O Filiarcado cuja execução final é em pintura sobre tela


Atualizado em 12/02/2007
 
Fonte: Itaú Cultural - 15/08/2007

  LOGIN DE ASSINANTES - Guia de Preços
Clique Aqui
 
  LOGIN DE ANUNCIANTES - Ofertas Especiais
Clique Aqui
 
        Copyright © 2007 Catálogo das Artes